Água







Introdução

A água é importante e imprescindível para todos os seres vivos, devido às suas características únicas, que vão desde a regulação da temperatura à diluidora de sólidos e transporte de resíduos e nutrientes por entre os vários órgãos e as várias camadas de solo.
Aproximadamente 70% da superfície terrestre encontra-se coberta por água. No entanto, menos de 3% deste volume é de água doce, cuja maior parte encontra-se sobre a forma de gelo ou neve, restando uma pequena percentagem de água disponível para o Homem.

A água está distribuída da seguinte forma no planeta Terra:
•    97,5% encontra-se nos oceanos, ou seja, água salgada.
•    2,5% é água doce e está distribuída da seguinte forma:
        * 29,7% aquíferos;
        * 68,9% calotas polares;
        * 0,5% rios e lagos;
        * 0,9% outros reservatórios (nuvens, vapor).

Desta forma, torna-se urgente fazer um uso racional da água, pois ela é limitada, é de interesse a nível mundial, (a água é utilizada em praticamente todas as atividades humanas, por exemplo, desde a criação de animais até à produção de peças de vestuário).





ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO


De todos os recursos naturais que usamos, a água tem uma importância vital. No entanto, nem sempre é reconhecida a importância da água para a manutenção da vida no planeta. Infelizmente, apesar de ser o composto mais abundante no planeta, a água hoje é um bem escasso. Menos de 0,01% do volume total de água existente na Terra está disponível para ser usada pelo ser humano. De facto, a maior parte da água não pode ser consumida pois é salgada ou encontra-se sob a forma de gelo, pelo que nos resta a água vinda dos rios, lagos e aquíferos subterrâneos. Além disso, 70% dessas águas subterrâneas encontram-se a grandes profundidades, dificultando a sua utilização económica.

O abastecimento público de água em termos de quantidade e qualidade é uma preocupação crescente da humanidade, devido à escassez do recurso água e à deterioração das águas dos aquíferos. A importância da água destinada ao consumo humano como veículo de transmissão de doenças tem sido largamente difundido e reconhecido.



VOCÊ SABIA QUE...

  • Da água que gastamos em nossas casas, cerca de 75% é usada na casa de banho;
  • Uma torneira mal fechada pode gastar mais de 50L de água por dia;
  • Uma descarga de autoclismo num país desenvolvido consome um volume de água equivalente ao que é em média utilizado diariamente por uma pessoa num país em vias de desenvolvimento para a sua higiene, para beber, para limpeza e para cozinhar;
  • Mais de metade das reservas de água do mundo estão concentradas em apenas 10 países;
  • Estima-se que dentro de 30 anos, 5.5 biliões de pessoas viverão em condições de moderada a severa escassez de água;
  • Num banho de imersão gasta cerca de 180 litros de água enquanto que no duche gasta entre 15 a 20 litros de água por minuto;
  • São necessários 450 litros de água para se produzir um ovo de galinha, 7.000 litros para refinar um barril de petróleo cru e 148.000 litros para fabricar um automóvel;
  • As gotas de chuvas não têm a forma de lágrimas. Usando câmaras de alta velocidade, os cientistas comprovaram que elas têm a forma achatada de uma esfera.
  • Grande parte da água que consumimos diariamente provém dos alimentos. Um tomate tem cerca de 95% de água, as maçãs têm cerca de 85% de água e o espinafre tem cerca de 91% de água.


DICAS ÚTEIS

  • As plantas devem ser regadas logo ao início ou no fim do dia, para evitar as horas de maior calor em que se perde muita água por evaporação;
  • Ao usar um copo, em vez de deixar a torneira a correr, poderá poupar mais de 30 litros de água de cada vez que lava os dentes;
  • Poderá colocar os baldes a apanhar a água da chuva, e utilizar a mesma para a rega; (o armazenamento de água em recipientes abertos por um período perlongado de tempo promove a proliferação de vetores, como mosquitos e roedores);
  • Ao lavar o seu carro, utilize sempre um balde, ao invés da mangueira;
  • Encha sempre as máquinas de lavar a roupa e da loiça quando as for usar;
  • Para lavar a loiça, utilize uma bacia ou o lavatório (cheio de água, sem que a mesma esteja a correr);
  • Se o seu autoclismo não possuir duas descargas diferentes, coloque uma garrafa (por exemplo de 1,5L) cheia de água dentro do autoclismo, para reduzir o volume da descarga;
  • Ao tomar duche de água quente, recolha para um recipiente a água fria que se encontra na canalização e aproveite-a para posterior descarga da sanita;
  • Prefira duches curtos, não superiores a 5 minutos, em alternativa aos banhos de imersão;
  • Cobrir a terra do jardim ou dos vasos das plantas com erva, casca de pinheiro ou gravilha, ajuda manter a humidade do solo;
  • Reutilizar a água sempre que possível. Por exemplo, no caso de existência de um aquário, aquando da sua limpeza, a água suja, rica em fertilizantes, pode ser aproveitada para rega, beneficiando o crescimento das plantas;
  • Sensibilizar as crianças para que não brinquem com a água;
  • Proceder à inspeção regular das canalizações e reservatórios de água, para deteção de fugas;
  • No caso de sair de casa por muitos dias, deverá fechas a válvula do contador da água;
  • Avisar imediatamente as autoridades competentes (Águas de Coimbra e Câmara Municipal da Lousã) quando detetar fugas de água nos espaços públicos.

Documentos:
Regulamento Municipal de Abastecimento de Água e Drenagem de Águas Residuais
Qualidade da água do concelho da Lousã- 4º Trimestre de 2014







ÁGUA PARA PISCINAS



As piscinas são reservatórios de água que se podem encontrar num espaço fechado ou aberto. Uma vez que a água pode sofrer várias alterações devido às condições atmosféricas, aos utilizadores e aos produtos utilizados, a mesma pode ser submetida a alguns tratamentos, como por exemplo, a desinfeção.

O concelho da Lousã disponibiliza aos seus munícipes duas piscinas, a Piscina Municipal da Lousã e a Piscina Municipal – Parque Carlos Reis (para mais informações consultar o separador Desporto).

Devemos sempre ter em atenção as normas de funcionamento das piscinas e segui-las à risca, de forma a protegermos a nossa saúde.



VOCÊ SABIA QUE...

  • O homem é o maior fator de poluição das águas das piscinas;
  • As doenças biológicas que se podem apanhar nas piscinas resultam da contaminação por fezes, vómito e outros fluídos corporais;
  • Os cremes e perfumes que usamos podem contaminar a água;
  • Os maus cheiros vindos da água são normalmente causados pelos cremes hidratantes e bronzeadores, urina e suor;
  • O cloro deve encontrar-se entre 0,5 e 2,0 mg/L. É o responsável pela desinfeção da água;
  • O pH deverá encontrar-se entre 7,2 e 7,4 de forma a não criar irritação nos olhos e na pele;
  • Se o pH da piscina estiver alto o cloro perde eficiência como desinfetante;
  • A natação é o desporto que faz mexer mais músculos ao mesmo tempo;
  • Os resultados relativos ao cloro e ao pH das colheitas realizadas nas piscinas devem estar afixados no estabelecimento;
  • Por ano uma piscina perde, cerca de, 20% do seu volume de água por evaporação;
  • Se a água se apresentar turva pode ser sinal de presença de algas, de excesso de resíduos orgânicos, uma filtração insuficiente ou até mesmo de o pH se encontrar superior a 7,6;
  • A presença de ferro ou manganês irá dar à água uma cor castanha;


DICAS ÚTEIS

  • Passe sempre pelo chuveiro antes de entrar na água;
  • Não coloque perfume, cremes ou desodorizante antes de entrar na água;
  • Nunca faça nenhuma necessidade fisiológica na piscina;
  • Não use acessórios, como, anéis ou brincos;
  • Mantenha a sua higiene pessoal;
  • Em caso de irritação nos olhos deverá sair de imediato da água e falar com o responsável.

Documentos:







ÁGUAS BALNEARES - PRAIAS FLUVIAIS

As praias fluviais são bastante diferenciadas, pois resultam dos sedimentos que o curso do rio vai trazendo para a margem.



Praia Nossa Sª da Graça




Informações/Atividades:

  • Acessível (tem acessos para pessoas com mobilidade condicionada);
  • Vigiada;
  • Têm zona de recreio com piscina para crianças;
  • Parque de merendas;
  • Posto de primeiros socorros;
  • Instalações sanitárias;
  • Duches;
  • Bar da praia;
  • Restaurante.
  • Aluguer de barcos e canoas;

Como Chegar:

GPS:

Latitude: 40o 15’ 73.00” N
Longitude: 08o 19’ 72.20” W

Orientação:
Sair da Lousã, em direção a Góis, pela EN342. Virar à esquerda em direção a Serpins pela EM554, ao km 6. Antes de entrar na localidade acima referida, virar à direita para a praia, junto ao parque de campismo.



Praia Fluvial da Sr.ª da Piedade/ Central de Ermida




Informações/Atividades:

  • Têm parque de merendas;
  • Instalações Sanitárias;
  • Duches;
  • Bares de praia;
  • Restaurantes. 
  • BTT;
  • Percursos pedestres;
  • Desportos de aventura;

Como Chegar

GPS:
Latitude: 40o 15’ 73.00” N
Longitude: 08o 19’ 72.20” W

Orientações:
Sair da Lousã, em direção a Góis, pela EN342. Virar à esquerda em direção a Serpins pela EM554, ao km 6. Antes de entrar na localidade acima referida, virar à direita para a praia, junto ao parque de campismo.



Praia fluvial da Bogueira




Informações/Atividades:

  • Parque de merendas;
  • Parque infantil;
  • Campo de jogos;
  • Duche;
  • Instalações sanitárias;
  • Bar/Cafetaria;
  • Balneários;
  • Apoio náutico;
  • Acesso para pessoas com mobilidade condicionada;
  • Parque de estacionamento;
  • É vigiada.


Como Chegar


GPS:
Latitude: 40o09’12.74”N
Longitude: 80 14’29.14”W

Orientações:
Seguir pela variante à nacional 236, em direção à Casa da Eira. Continuar até à estrada EM571. Passados 2,2km vire à direita.



VOCÊ SABIA...
  • As praias fluviais da Sr.ª da Piedade e da Bogueira, estão na lista das melhores 21 praias fluviais do país, publicada no dia 6 de Junho de 2013 no Correio da Manhã.


DICAS ÚTEIS

  • Coloque os resíduos nos contentores devidos, pode colocar tudo num saco de plástico e no final do dia colocar no local indicado;
  • Não faça as suas necessidades na água;
  • Evite levar o cão para a praia;
  • Prefira produtos não tóxicos e biodegradáveis;



Legislação

  • Lei nº 58/2005, de 29 de Dezembro – Lei da água, transporta para o domínio nacional a Diretiva Quadro da Água da União Europeia;
  • Decreto-Lei nº 77/2006, de 30 de Março - Transporta para o domínio nacional a Diretiva Quadro da Água da União Europeia;
  • Decreto-Lei nº 236/98, de 1 de Agosto – Define os requisitos a observar na utilização das águas para consumo humano e para suporte de vida agrícola;
  • Decreto-Lei nº 141/2009, de 16 de Junho – Estabelece o regime jurídico das instalações desportivas de uso público;
  • Decreto-Lei nº 44/2004, de 19 de Agosto – Garantia da segurança dos banhistas nas praias marítimas, nas praias de águas fluviais e lacustres, reconhecidas pelas entidades competentes como adequadas para a prática de banhos;
Partilhar no Facebook